• SMF Focolari

Ideia do Mês - Abril 2022

Atualizado: 7 de abr.

Promover a fraternidade


Apesar da nossa fragilidade e pequenez, somos chamados a anunciar, com nossa vida e nossas palavras, a beleza de viver pela fraternidade.


Médicos voluntários vestidos de palhaço animam os ânimos de refugiados Ucranianos

Fonte imagem: https://www.cengnews.com/news/ukrainian-refugees-spirits-are-healed-by-medical-clowns-352928.html


Este chamado é pessoal, mas sem dúvida, o resultado é melhor se o fizermos juntos, em grupo. O grupo certamente não será formado por pessoas perfeitas, mas a experiência da fraternidade é um impulso para esta tarefa.


O seu sucesso não depende de capacidades pessoais, mas da realidade viva e concreta de nos amarmos. Podemos “gritar” o amor que sentimos com a nossa vida e com as nossas palavras, saindo de nós mesmos com coragem e generosidade para oferecer a todos, com delicadeza e respeito, o tesouro da fraternidade que abre os corações para a esperança.


Como nos propõe Chiara Lubich, somos solicitados a nos "renegarmos”, a nos “diminuirmos” para expressar apenas amor. Um amor que crescerá se nos deixarmos guiar pela voz da consciência que nos fala no nosso íntimo.


Se abrirmos espaço – nos diz –, veremos o impulso para a fraternidade e, quando encontramos um irmão ou uma irmã, nos tornamos capazes de “fazer-nos um” com ele ou com ela, de servi-los de modo impecável; nos dá a força de amá-los se eles forem, de algum modo, inimigos; nos enriquece o coração de compaixão para saber perdoar e ser capaz de compreender as necessidades deles; nos faz comunicar com desvelo, no momento oportuno, as coisas mais belas que nos passam no coração.


Chiara nos diz que, com este amor no coração, e por meio dele, podemos chegar longe, comunicando a própria descoberta a muitas outras pessoas até que o outro, suavemente tocado pelo amor que experimenta, queira “fazer-se um” conosco, em um mútuo intercâmbio de auxílios, de ideais, de projetos, de afetos. Somente então poderemos oferecer a palavra, e ela será um dom, na reciprocidade do amor.


É uma perspectiva que nos deixa conscientes de que pertencemos ao grande mosaico do cosmo, realidade para a qual hoje somos particularmente sensíveis.

Os jovens, muitas vezes, estão na vanguarda desse novo caminho da humanidade; muitas vezes se destacam e confirmam com os fatos aquilo que anunciam com as palavras. Robert, da Nova Zelândia, compartilha na rede a sua experiência.


Uma atividade em andamento em nosso território encabeça a reforma do porto de Porirua, no sul da região de Wellington, Nova Zelândia.


Essa iniciativa envolveu as autoridades do lugar, a comunidade católica Maori e a tribo local. Nosso objetivo é apoiar essa tribo no seu desejo de liderar a reforma do porto, de garantir que as águas corram limpas e permitir a coleta de moluscos e a pesca regular sem temer que haja poluição.


Essas iniciativas foram bem-sucedidas e criaram um verdadeiro espírito de comunidade. O desafio é evitar que se trate apenas de um evento passageiro e manter uma programação de longo prazo que traga ajuda e sustento. Que faça realmente a diferença.


===================================

A IDEIA DO MÊS, baseada em textos de Letizia Magri, surgiu no Uruguai no contexto do diálogo com pessoas de diversas convicções religiosas e não religiosas cujo lema é “construindo diálogo”. O objetivo desta publicação é o de contribuir para promover o ideal da fraternidade universal. Atualmente A IDEIA DO MÊS é traduzida em doze idiomas e distribuída em mais de 25 países.

150 visualizações0 comentário