• SMF Focolari

Economia Circular: uma forma de consumo consciente

A economia circular propõe uma mudança em toda a maneira de consumir, do design dos produtos até a nossa relação com as matérias-primas e resíduos. Ela faz uma adequação no que seria o final do processo da economia tradicional, adicionando fases para estender a vida útil dos produtos.



Essa ideia de economia baseia-se em 4 R’s: redução, reutilização, recuperação e reciclagem, para diminuir os desequilíbrios ambientais, econômicos e sociais.


Com a utilização da matéria-prima até o seu esgotamento - seja ela transformada, reutilizada ou reciclada - esse material estará sendo útil e não terá um descarte precoce e sem os cuidados necessários, o que é altamente prejudicial para o meio ambiente.

Nos últimos anos, essa dinâmica vem ganhando espaço em diversos projetos industriais e alcançando apoiadores na sociedade. O que é uma excelente notícia do ponto de vista ambiental e social, devido à urgência de diminuição da produção de resíduos e exploração dos recursos naturais.


Materiais como o vidro, latas de alumínio ou plástico demoram centenas de anos para se decompor na natureza. Por isso a importância de repensar o uso desses materiais. Por exemplo, ao invés de jogar a garrafa de plástico fora após consumir uma bebida, a economia circular faz com que esse insumo seja redirecionado para uma nova posição, começando pelo reuso para armazenar outro líquido, se não for possível, a garrafa pode ser enviada a uma indústria que a conserte ou recicle, mantendo-a dentro da dinâmica de consumo, sem poluir o meio ambiente.


Na SMF quando temos atividades de artesanato com materiais descartados, fazemos bazares com a venda de itens em plenas condições de uso ou incentivamos a comunidade com a separação do lixo, estamos colocando em prática os pilares da economia circular.


Economia Linear

Nas produções tradicionais, chamada de economia linear, a prática segue o fluxo de extrair-produzir-descartar.

Nesse modelo, o crescimento econômico depende do consumo de recursos finitos, o que causará o esgotamento de matérias-primas. Com menos recursos disponíveis, os custos são cada vez mais altos e, consequentemente, os preços de venda.


Além disso, têm também os problemas associados à sustentabilidade ambiental. O modelo linear gera um volume sem muito grande de resíduos inutilizados e potencialmente tóxicos para os seres humanos e os sistemas naturais.


Esse assunto precisa estar em pauta, pois a mudança é urgente. Compartilhe essa ideia, precisamos cuidar do planeta. É a nossa casa e das futuras gerações.


12 visualizações0 comentário